domingo, 4 de junho de 2017

Jobabilidade: Robôs-Latas

Robôs-Latas
Objetos Escultóricos Articulados
de Joba Tridente

Eu sou apaixonado por robôs desde criança. Possivelmente influenciado pelo cinema, história em quadrinho e séries de tv. Sempre que possível vejo filmes do “gênero”. Entre tantos, creio que o meu favorito seja uma obra-prima da animação japonesa: Eve no Jikan (2010), que fala de robôs que se encontram num bar para conversar sobre a relação com os humanos.




Enfim, talvez por isso, sempre que possível invento algum robô, utilizando sucata. Já fiz robôs reciclando rolos de papel e laminados (JT.1 e JT.2) e também copos e tampas plásticas (Robô-Copo e Gira-Gira). Ah, tem ainda o Michael Chaplin, que fiz usando uns pedaços de metal que encontrei no lixo. 


A minha mais recente criação de surgiu da mistura de latas de sardinha e de atum com parafusos, peças metálicas (que não tenho a menor ideia para quê servem), molas/espirais, arames, tubos de cola bastão etc..., e decidi chamá-la de Robô-Lata.




A primeira geração de Robôs-Latas é formada por Diva, Macaco e Cro-Magnon. Dei os nomes olhando para a cara de cada um. Bom, mais ou menos. 




A princípio, a Robô-Lata Diva Atum não tinha tal nome, pois achei que seria uma Bailarina Gordinha. Depois, olhando melhor, achei que parecia uma prima-dona (cantora de ópera), uma verdadeira Diva. Ela é a única que, além do avantajado tronco e longos membros, também gira as pernas.




Bem, quanto ao Macaco Coqueiro, nem é preciso dizer porque recebeu esse nome. Tá na cara, não é?




Já o Gro-Magnon Robinson, o nome me veio assim de repente. Ele me parece tão pré-histórico. Um robô do tempo das cavernas.


Robôs-Latas
é Objetos Escultóricos Articulados
é Arte Sustentável
é criação e fotos de joba tridente em 2017





Artista Plástico - Individuais: 1991 - Sagrados e Profanos - Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná - Curitiba-PR; 1986 - Sagrados e Profanos - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1984 - Arteveste - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1983 - I Comício Cósmico de Brasília - Centro Cultural Le Corbusier – DF e Arte Alternativa II e III - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1982 - Arte Alternativa - Galeria Jegue Elétrico - DF.

Artista Plástico - Coletivas: 2015 - Bench Artes - São Paulo-SP; Nem Tudo Termina em Pizza - São Paulo-SP. 2013 - Mail Art Cupcake - MuBE - Museu Brasileiro de Escultura. 2000 - Fandango Subindo a Serra - SESC da Esquina - Curitiba-PR.  1997 - Guido Viaro, 100 Anos: Interpretação 97 - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR. 1996 - V Concurso de Presépios - Memorial da Cidade de Curitiba - PR; 1994 (itinerante: 1995/1996) - Suite Vollard, Picasso - Uma Interpretação Paranaense - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR; 1987 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF e Levante Centro-Oeste - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1986 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1983 - I salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Hall da Prefeitura Municipal de Petrópolis - RJ e II Salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Centro de Convenções de Brasília - DF; 1977 - II Salão de Arte e Pensamento Ecológico - Touring Club de Brasília - DF; 1974 - I Encontro de Artes do ABC - Hall do Teatro Municipal de São Bernardo do Campo - SP.


Artes Gráficas, Humor e Quadrinhos: 1997 - 1ª Mostra da Ilustração Paranaense - Museu de Arte Contemporânea do Paraná - Curitiba - PR; 1993 - Bienal Internacional de Quadrinhos do Rio de Janeiro - RJ; 1991 - Arkivo Gráphico - Gibiteca de Curitiba - PR; 1980 - Brasília 20 Anos - Hall do SESC - DF e  Caricatura e Desenho de Humor de Ontem e de Hoje - Criatura-I - Exposição itinerante organizada pela FUNARTE em: DF/SP/RJ/BA/CE/PR; 1977 - II Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1976 - Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF.

6 comentários:

  1. Gostei muito dessa nova série, Joba. Isso dá animação, não dá? Abraço grande de Santa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ..., olá, Carlos, quando estava fazendo os Robôs me lembrei que, certa vez, você me ofereceu uma latas vazias de atum e eu não quis porque não sabia o que fazer com elas. ..., agora, já sei! ..., grato pela visita e consideração. ..., acho que dá pra animar, sim. ..., quem sabe um dia! ..., grande abraço!

      Excluir
    2. Tenho um apego estético por essas latinhas, as embalagens de phebo também, sempre penso que dá pra fazer algo delas. E mesmo quando não dá é bom de ver, de pegar. Muito bonita a série, pensei no teatrinho do Calder... Abraço de admiração.

      Excluir
    3. ..., as embalagens de Phebo não conheço (além das caixas de sabonete), Carlos. ..., mas com estas latas que tem, acho que poderá fazer uma bela cobra ou dragão! ..., já tenho ideias para as que estou ajuntando, vamos ver o que sairá. ..., Calder é mágico, e de uma simplicidade tocante. ..., tenho conhecido trabalhos incríveis de outros artistas (da Espanha e Itália) que também trabalham com a sucata. ..., um dia chego lá!!! ..., grande abraço e, mais uma vez, grato pela visita!!!

      Excluir
  2. A robô-lata Diva Atum roubou meu coração!
    Amei todos os trabalhos, quanto talento...parabéns!
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ..., a Diva é uma graciosa gordinha, Sandra. ..., grato pela visita. ..., ainda não tenho nenhum preferido. ..., vamos ver o que virá nas próximas gerações. ..., grato pelo carinho! ..., grande abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...