domingo, 29 de abril de 2018

Joba Tridente: Brinquedos do Brasil: Invenções de Muitas Mãos


Brinquedos do Brasil:
invenções de muitas mãos

No ano de 2014 fui convidado pela Brincante e Pesquisadora Adriana Klisys*, diretora da Caleidoscópio Brincadeira e Arte, para participar com alguns dos meus trabalhos articulados (feitos com material reciclável) do ambicioso projeto editorial Brinquedos do Brasil: Invenções de muitas mãos, lançado em março de 2018, numa belíssima edição do SESC - Serviço Social do Comércio/Departamento Nacional: “Tomando um dos principais papéis da escola para a infância, que é o da produção de conhecimento e de cultura por meio lúdico, o Sesc leva a sério o brincar e apresenta o livro Brinquedos do Brasil: invenções de muitas mãos, uma publicação que convida à memória, à criação e ao prazer de brincar, veiculada pelas mãos de artesãos de todo o Brasil. São piões, carrinhos, bonecas, engenhocas que poderão levar professores, crianças e outras pessoas pelos caminhos do saber popular, suas tradições e a construção de uma narrativa tecida pelos fios da cultura infantil.”

Feito uma enciclopédia de brinquedos, o livro reúne obras lúdicas de mais de cinquenta artistas brasileiros que serão expostas em todo o país. Eu compareço com quatro peças feitas com material reciclável (caixa de fósforos, sobras de embalagens diversas, lacre de saco de pão): Cachorro, Garota Mangá, Palhaço e Vaquinha.


GAROTA MANGÁ
(caixa de fósforos, embalagem de ovos e de pizza, lacre)



PALHAÇO
(caixa de fósforos e embalagem de ovo, lacre)



CACHORRO
(caixa de fósforos e sobras e papel e de embalagem,)



VAQUINHA
(caixa de fósforos, embalagem de leite, lacre)



LIVRO
(capa: frente e verso e fac-símiles do miolo)


 





*****


Joba Tridente: Artista Plástico - Individuais: 1991 - Sagrados e Profanos - Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná - Curitiba-PR; 1986 - Sagrados e Profanos - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1984 - Arteveste - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1983 - I Comício Cósmico de Brasília - Centro Cultural Le Corbusier – DF e Arte Alternativa II e III - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1982 - Arte Alternativa - Galeria Jegue Elétrico – DF. Artista Plástico - Coletivas: 2018 - Brinquedos do Brasil - Invenções de muitas mãos - SESC/Itinerante. 2015 - Bench Artes - São Paulo-SP; Nem Tudo Termina em Pizza - São Paulo-SP. 2013 - Mail Art Cupcake - MuBE - Museu Brasileiro de Escultura. 2000 - Fandango Subindo a Serra - SESC da Esquina - Curitiba-PR.  1997 - Guido Viaro, 100 Anos: Interpretação 97 - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR. 1996 - V Concurso de Presépios - Memorial da Cidade de Curitiba - PR; 1994 (itinerante: 1995/1996) - Suite Vollard, Picasso - Uma Interpretação Paranaense - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR; 1987 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF e Levante Centro-Oeste - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1986 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1983 - I salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Hall da Prefeitura Municipal de Petrópolis - RJ e II Salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Centro de Convenções de Brasília - DF; 1977 - II Salão de Arte e Pensamento Ecológico - Touring Club de Brasília - DF; 1974 - I Encontro de Artes do ABC - Hall do Teatro Municipal de São Bernardo do Campo - SP. Artes Gráficas, Humor e Quadrinhos: 1997 - 1ª Mostra da Ilustração Paranaense - Museu de Arte Contemporânea do Paraná - Curitiba - PR; 1993 - Bienal Internacional de Quadrinhos do Rio de Janeiro - RJ; 1991 - Arkivo Gráphico - Gibiteca de Curitiba - PR; 1980 - Brasília 20 Anos - Hall do SESC - DF e  Caricatura e Desenho de Humor de Ontem e de Hoje - Criatura-I - Exposição itinerante organizada pela FUNARTE em: DF/SP/RJ/BA/CE/PR; 1977 - II Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1976 - Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF.

*Adriana Klisys é Diretora da Caleidoscópio Brincadeira e Arte. Formada em Psicologia pela PUC-SP, ela trabalha há mais de vinte anos com formação de professores e elaboração de diagnóstico e propostas educativas para instituições como Instituto Avisa lá, Instituto Sou da Paz, Instituto Criança Cidadã, PNUD-Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Programa Crer para Ver - Abrinq, Sesi (Serviço Social da Indústria – SP), Escola Candanga - Fundação Educacional do Distrito Federal/Seção de Educação Infantil. Palestrante, conferencista e ministrante de cursos para temáticas sobre a questão lúdica, Adriana é autora dos livros: Quer Jogar?; Ciência, Arte e Jogo; Bem-vindo, mundo! Criança, cultura e formação de educadores; Brincar e Ler para Viver - Instituto Heding-Griffo (disponível em pdf no site www.caleido.com.br); Brinca Ciência volumes 1 e 2 Estação Ciência/ Sabina/Secretaria de Educação de Santo André; Coleção Buriti-Mirim vols 1,2 e 3. Para saber mais sobre essa incansável brincante, fazedora de brinquedos e criadora de brincadeira, acesse: Caleidoscópio - brincadeira e arte, onde você encontra também uma fascinante biblioteca virtual que disponibiliza vários arquivos (em PDF) com sugestões de atividades e passo a passo etc.; site Brincadiquê?, USP: Brincar e Ler para Viver; Youtube: Adriana Klisys: Por que paramos de brincar?.  

sábado, 21 de abril de 2018

Jobabilidade: Capa de Celular vira Arte Sustentável


Capa de Celular vira Arte Sustentável Articulada
criação de Joba Tridente

Desde o mês de novembro de 2017 venho publicando uma série de fotos, incluindo o passo a passo, de vários trabalhos que fiz utilizando capas (bumper, case, funda, caja) e protetores para celular (smartphones)..., descartadas por estarem fora de moda e ou não se encaixarem em novos modelos.


Comecei postando a HQ (comic, cómic, mangá) JUSTIÇA - Articulada e Infinita, estrelada pelas estampas do marginalizado personagem Chaves (da tv), da onipotente Justiça (da vida real) e do aventureiro Super Mario (do game), seguida do Porta-Trecos, do Porta-Retratos e do Porta-Chaves. Uma vez que o material que ganhei (de um amigo e proprietário da loja de produtos e serviços de informática Softlan, de Curitiba) é diverso e me falta tempo para praticar todas as ideias, vou reciclando aos poucos.


Hoje você confere os meus seis desafios para transformar capas e protetores plásticos (que até ontem eram super fashion) em Arte Sustentável. São peças divertidas e ou lúdicas: Aquário, Gato Adivinho, O Cachorro e a Tartaruga, Paisagem com Gaivotas e Meteorito, e bucólica Flores na Janela. Destas, só a última não é articulada. Por conta do tempo e da complexidade para desenvolver o mecanismo de articulações (adaptando os orifícios) não consegui fazer o passo a passo. Em todas as obras utilizei sobreposições para dar profundidade e ilusão de 3D. Quanto aos animais e as flores, já há muitos anos desenvolvi um técnica de recortes que consiste em dar asas à imaginação: olho pra um papel qualquer e imagino o que quiser (ou acho que estou vendo) e recorto. Criei até uma Oficina Cultural - Exercitando o Olhar: Eu Vejo O Que Você Não Vê onde ensino a técnica.



AQUÁRIO

Esta foi a peça que deu mais trabalho para articular..., por conta de fazer o Peixe Dourado vir do fundo para a borda do Aquário. Na sua criação utilizei: capa de celular, película plástica (lâminas que acompanham a película (screen protector) protetora de tela de celular e de tablets), sobras de placas de isopor (bandeja de frios), sobras de papel e de embalagens.



  *******


PAISAGEM COM GAIVOTAS E METEORITO

Nesta peça há o movimento do Meteorito (feito com lacre de alumínio), que gira e desloca para frente e para trás. Na sua criação utilizei: capa de celular, película plástica (lâminas que acompanham a película (screen protector) protetora de tela de celular e de tablets), sobras de placas de isopor (bandeja de frios), sobras de papel e de embalagens.




 *******


GATO ADIVINHO

Nesta peça o movimento é do Disco do Tempo (sol com nuvens ou nuvens com sol ou meio um e meio outro) que gira sobre a cabeça do Gato. Na sua criação utilizei: capa de celular, película plástica (lâminas que acompanham a película (screen protector) protetora de tela de celular e de tablets), sobras de placas de isopor (bandeja de frios), sobras de papel e de embalagens.




 ******* 


O CACHORRO E A TARTARUGA

 Nesta peça o movimento é o da Cabeça do Cachorro, que sobe e desce e desliza de um lado pro outro. Na sua criação utilizei: capa de celular, película plástica (lâminas que acompanham a película (screen protector) protetora de tela de celular e de tablets), sobras de placas de isopor (bandeja de frios), sobras de papel e de embalagens.



******* 



CORAÇÃO DE PRATA NO JARDIM

Nesta peça o grande Coração de Prata no Jardim (feito com lacre de alumínio) sobe e desce e desliza de um lado pro outro entre as flores. Na sua criação utilizei: capa de celular, película plástica (lâminas que acompanham a película (screen protector) protetora de tela de celular e de tablets), sobras de placas de isopor (bandeja de frios), sobras de papel e de embalagens.



******* 



FLORES NA JANELA

Nesta peça bucólica não há movimento..., apenas a composição com grande profundidade de um vaso de Flores na Janela. Na sua criação utilizei: capa de celular, película plástica (lâminas que acompanham a película (screen protector) protetora de tela de celular e de tablets), sobras de placas de isopor (bandeja de frios), sobras de papel e de embalagens.




*******



Capa de Celular vira Arte Sustentável Articulada
criações e fotos de Joba Tridente
fevereiro/abril de 2018

*



JOBA TRIDENTE

Artista Plástico - Individuais: 1991 - Sagrados e Profanos - Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná - Curitiba-PR; 1986 - Sagrados e Profanos - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1984 - Arteveste - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1983 - I Comício Cósmico de Brasília - Centro Cultural Le Corbusier – DF e Arte Alternativa II e III - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1982 - Arte Alternativa - Galeria Jegue Elétrico – DF.

Artista Plástico - Coletivas: 2018 - Brinquedos do Brasil - Invenções de muitas mãos - SESC/Itinerante. 2015 - Bench Artes - São Paulo-SP; Nem Tudo Termina em Pizza - São Paulo-SP. 2013 - Mail Art Cupcake - MuBE - Museu Brasileiro de Escultura. 2000 - Fandango Subindo a Serra - SESC da Esquina - Curitiba-PR.  1997 - Guido Viaro, 100 Anos: Interpretação 97 - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR. 1996 - V Concurso de Presépios - Memorial da Cidade de Curitiba - PR; 1994 (itinerante: 1995/1996) - Suite Vollard, Picasso - Uma Interpretação Paranaense - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR; 1987 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF e Levante Centro-Oeste - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1986 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1983 - I salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Hall da Prefeitura Municipal de Petrópolis - RJ e II Salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Centro de Convenções de Brasília - DF; 1977 - II Salão de Arte e Pensamento Ecológico - Touring Club de Brasília - DF; 1974 - I Encontro de Artes do ABC - Hall do Teatro Municipal de São Bernardo do Campo - SP.

Artes Gráficas, Humor e Quadrinhos: 1997 - 1ª Mostra da Ilustração Paranaense - Museu de Arte Contemporânea do Paraná - Curitiba - PR; 1993 - Bienal Internacional de Quadrinhos do Rio de Janeiro - RJ; 1991 - Arkivo Gráphico - Gibiteca de Curitiba - PR; 1980 - Brasília 20 Anos - Hall do SESC - DF e  Caricatura e Desenho de Humor de Ontem e de Hoje - Criatura-I - Exposição itinerante organizada pela FUNARTE em: DF/SP/RJ/BA/CE/PR; 1977 - II Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1976 - Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Jobabilidade: Protetor de Celular vira Porta-Chaves

Protetor de Celular vira Porta-Chaves
criação de Joba Tridente

Recentemente eu ganhei de um amigo e proprietário de loja de produtos e serviços de informática diversos modelos “antigos” (em um semestre!) de capas (bumper, case, funda, caja) e protetores para celular (smartphones)..., um desafio para transformar em Arte Sustentável o que até ontem era super fashion.

Você que já conferiu os processos criativos da HQ JUSTIÇA - Articulada e Infinita e do Porta-Trecos, hoje acompanha o passo a passo para transformar os Protetores de Celular em Porta-Chaves e ou Imã de Geladeira. Ainda não sei o que futuramente virá por aí. Na verdade sei, mas é surpresa!


Porta-Chaves e Imã de Geladeira
processo criativo

O Porta-Chaves é um Utensílio Sustentável que, depois de um bom tempo de uso, pode virar Imã de Geladeira. Para tanto é só recortar as partes imantadas. Estou utilizando o Porta-Chaves com cinco chaves (duas tetras e três normais), mas com menos chaves a durabilidade pode ser ainda maior.
  




Na confecção dos Porta-Chaves utilizei: 1. Capas de celular, com fecho imantado. 2. Argolas de metal para chaveiro e argolas elásticas (donut/rosquinha) para cabelo.



Fazendo: As argolas de metal, que usei no primeiro modelo (Bandeira do Brasil) são mais difíceis de encaixar que as argolas elásticas, que usei no segundo modelo (Melancias). Mas a escolha fica ao seu critério. Gostei mais do acabamento com as argolas elásticas (para cabelo) do segundo modelo, que estou utilizando.
  





As argolas elásticas (donut/rosquinha) são bem fáceis de encaixar. Usei apenas três argolas elásticas: uma de sustentação das chaves, que passa pelos dois orifícios, e outras duas pra prender as duas argolas de metal com as chaves. Mas é possível fazer apenas com duas e ou uma, dependendo da quantidade de chaves.


Porta-Chaves e Imã de Geladeira
criação e fotos de Joba Tridente
dezembro de 2017


*
JOBA TRIDENTE
Artista Plástico - Individuais: 1991 - Sagrados e Profanos - Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná - Curitiba-PR; 1986 - Sagrados e Profanos - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1984 - Arteveste - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1983 - I Comício Cósmico de Brasília - Centro Cultural Le Corbusier – DF e Arte Alternativa II e III - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1982 - Arte Alternativa - Galeria Jegue Elétrico – DF.

Artista Plástico - Coletivas: 2015 - Bench Artes - São Paulo-SP; Nem Tudo Termina em Pizza - São Paulo-SP. 2013 - Mail Art Cupcake - MuBE - Museu Brasileiro de Escultura. 2000 - Fandango Subindo a Serra - SESC da Esquina - Curitiba-PR.  1997 - Guido Viaro, 100 Anos: Interpretação 97 - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR. 1996 - V Concurso de Presépios - Memorial da Cidade de Curitiba - PR; 1994 (itinerante: 1995/1996) - Suite Vollard, Picasso - Uma Interpretação Paranaense - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR; 1987 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF e Levante Centro-Oeste - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1986 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1983 - I salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Hall da Prefeitura Municipal de Petrópolis - RJ e II Salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Centro de Convenções de Brasília - DF; 1977 - II Salão de Arte e Pensamento Ecológico - Touring Club de Brasília - DF; 1974 - I Encontro de Artes do ABC - Hall do Teatro Municipal de São Bernardo do Campo - SP.

Artes Gráficas, Humor e Quadrinhos: 1997 - 1ª Mostra da Ilustração Paranaense - Museu de Arte Contemporânea do Paraná - Curitiba - PR; 1993 - Bienal Internacional de Quadrinhos do Rio de Janeiro - RJ; 1991 - Arkivo Gráphico - Gibiteca de Curitiba - PR; 1980 - Brasília 20 Anos - Hall do SESC - DF e  Caricatura e Desenho de Humor de Ontem e de Hoje - Criatura-I - Exposição itinerante organizada pela FUNARTE em: DF/SP/RJ/BA/CE/PR; 1977 - II Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1976 - Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Jobabilidade: Protetor de Celular vira Porta-Retratos


Protetor de Celular vira Porta-Retratos Dupla Face
criação de Joba Tridente

Eu não tenho telefone celular e ou smartphone e não sinto a menor falta. Mas, ironicamente, por trabalhar com material reciclável, ganhei (de um amigo e proprietário de loja de produtos e serviços de informática) diversos modelos “antigos” (em um semestre!) de capas (bumper, case, funda, caja) e protetores para celular (smartphones)..., algumas peças ainda lacradas e embaladas. Um desafio para transformar em Arte Sustentável o que até ontem era super fashion.

Você que já conferiu os processos criativos da HQ JUSTIÇA - Articulada e Infinita (que está exposta para manipulação na loja e laboratório de informática Softlan, em Curitiba) e do Porta-Trecos, hoje acompanha o passo a passo para transformar os Protetores de Celular em Porta-Retratos Dupla Face. A próxima postagem será de Porta-Chaves...


Porta-Retratos Dupla Face
processo criativo

O Porta-Retratos Dupla Face é um Utensílio Sustentável que você usa, alternando as faces, como suporte decorativo para suas fotos preferidas.

Na confecção do Porta-Retratos Dupla Face utilizei: 1. Um protetor metalizado decorado com pedras de strass. 2. Embalagem de pizza para encapar os recortes de isopor (tipo: bandeja de frios) para transformá-los em foam artesanal. 3. Lâminas plásticas que acompanham a película (screen protector) protetora de tela de celular (ou de tablets). Estas lâminas plásticas, mais espessas e não menos transparentes, são descartadas após a instalação da lâmina fina e flexível nos aparelhos. 4. Cola isopor e cola branca. 5. Estilete e régua, tesoura e tinta acrílica.

Nota: Este tipo de protetor metalizado de celular abre na lateral (engate de um lado e dobradiça do outro). Ainda não experimentei (mas creio ser possível) criar Porta-Retratos Sustentável também com outros modelos.





Fazendo: Recorte a placa de isopor (conforme o formato do protetor metalizado) que ficará no lugar do celular. Para que ela tenha um encaixe perfeito e sem folgas, lembre que o interior do protetor metalizado será ocupado por uma plaqueta de isopor encapado (foam artesanal); duas fotos e duas lâminas plásticas (que acompanham a lâmina flexível).




A peça de isopor deverá ser encapada com papel de mais ou menos 150g. Dependendo do volume do protetor metalizado de celular, talvez seja necessário reforçar a espessura do isopor (duplicando o papel). No meu caso, usei apenas uma lâmina de isopor encapada com papelão (reforçado) de embalagem de pizza. Assim como a peça de isopor encapada, as fotos e as lâminas plásticas devem ter a mesma medida e contornos do protetor metalizado. Para que os contornos fiquem exatos, ao recortar as fotos e as lâminas plásticas, faça um modelo do formato em qualquer tipo de papel. Ah, não esqueça de tirar a fina película plástica da embalagem de pizza, com o auxílio do estilete, para facilitar a colagem no isopor.


O suporte do Porta-Retratos de Dupla Face pode ser confeccionado tanto com papelão quanto com base de isopor encapado (para ter a firmeza de um foam ou mdf). Experimentei alguns modelos e criei este de encaixe..., que é bem prático e fácil de fazer. Embalagens antigas de VHS são perfeitas para recortar suporte de porta-retratos. 


Nota: As fotos do arranjo floral de rosas e do ator Rodrigo Ferrarini, que ilustram a matéria, foram feitas pelo fotógrafo Vitor Dias para o programa da peça de teatro Hoje É Dia de Rock, de José Vicente, apresentada nos meses de novembro e dezembro de 2017, pelo Teatro de Comédia do Paraná, no Teatro Guaíra, em Curitiba.



É isso! Bom proveito! As letras “R” e “L” são iniciais do nome do casal a quem presenteei a peça. Em breve você conhecerá o processo de criação do Porta-Chaves Sustentável, aos modos de um passo a passo.



Porta-Retratos Dupla Face
criação e fotos de Joba Tridente
dezembro de 2017



*
JOBA TRIDENTE

Artista Plástico - Individuais: 1991 - Sagrados e Profanos - Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná - Curitiba-PR; 1986 - Sagrados e Profanos - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1984 - Arteveste - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1983 - I Comício Cósmico de Brasília - Centro Cultural Le Corbusier – DF e Arte Alternativa II e III - Galeria Jegue Elétrico - DF; 1982 - Arte Alternativa - Galeria Jegue Elétrico – DF.

Artista Plástico - Coletivas: 2015 - Bench Artes - São Paulo-SP; Nem Tudo Termina em Pizza - São Paulo-SP. 2013 - Mail Art Cupcake - MuBE - Museu Brasileiro de Escultura. 2000 - Fandango Subindo a Serra - SESC da Esquina - Curitiba-PR.  1997 - Guido Viaro, 100 Anos: Interpretação 97 - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR. 1996 - V Concurso de Presépios - Memorial da Cidade de Curitiba - PR; 1994 (itinerante: 1995/1996) - Suite Vollard, Picasso - Uma Interpretação Paranaense - Museu de Arte do Paraná - Curitiba - PR; 1987 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF e Levante Centro-Oeste - Galeria da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1986 - Salão de Artes Plásticas de Brasília - Galeria “B” da Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1983 - I salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Hall da Prefeitura Municipal de Petrópolis - RJ e II Salão de Arte Mística/Mítica/Mediúnica - Centro de Convenções de Brasília - DF; 1977 - II Salão de Arte e Pensamento Ecológico - Touring Club de Brasília - DF; 1974 - I Encontro de Artes do ABC - Hall do Teatro Municipal de São Bernardo do Campo - SP. 

Artes Gráficas, Humor e Quadrinhos: 1997 - 1ª Mostra da Ilustração Paranaense - Museu de Arte Contemporânea do Paraná - Curitiba - PR; 1993 - Bienal Internacional de Quadrinhos do Rio de Janeiro - RJ; 1991 - Arkivo Gráphico - Gibiteca de Curitiba - PR; 1980 - Brasília 20 Anos - Hall do SESC - DF e  Caricatura e Desenho de Humor de Ontem e de Hoje - Criatura-I - Exposição itinerante organizada pela FUNARTE em: DF/SP/RJ/BA/CE/PR; 1977 - II Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF; 1976 - Salão de Humor de Brasília - Fundação Cultural do Distrito Federal - DF.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...